Diferença entre Música Sacra e Música Litúrgica

Diferença entre Música Sacra e Música Litúrgica

Uma dúvida muito comum quando pensamos sobre a música no catolicismo é diferenciar música sacra de música litúrgica.

De modo geral, o adjetivo sacro indica que a temática religiosa, ou seja, as coisas sagradas, é o centro do termo que o acompanha. Assim, arte sacra é o conjunto de pinturas, esculturas e arquiteturas que retratam e se inspiram nas coisas sagradas. Do mesmo modo, a música sacra tem por objeto o sagrado.

A música litúrgica por sua vez não somente tem o sagrado como temática, ela exerce uma função específica dentro da celebração. Para tanto, não basta a uma música litúrgica cantar sobre o sagrado, ela deve seguir uma série de critérios de modo a se adequar à função que visa exercer dentro do rito. Cantos como o Glória, o Santo e o Cordeiro de Deus são exemplos clássicos de músicas que precisam necessariamente acompanhar uma fórmula verbal fixa, do contrário não seriam adequadas ao uso litúrgico.

Aprofundando ainda mais a questão, vemos como a chave de leitura para entender o que é música litúrgica é sobretudo sua adequação às necessidades da celebração quando constatamos que um canto propício ao tempo de advento muito provavelmente não será adequado ao tempo quaresmal ou mesmo comum.

No caso ilustrado, os requisitos técnicos do canto estão em perfeita harmonia com a tradição da Igreja, porém está deslocado, não é capaz de cumprir sua função fora do tempo para o qual foi composto.

É mesmo o caso dos salmos. Cada dia do ano litúrgico possuí seu próprio salmo. Cantar o salmo de um dia em outro é inadequado, por mais que o cantar do salmo em si, quando feito dentro do verdadeiro espírito litúrgico, não o seja.

Em suma, nem todos os cantos que têm o sagrado como sua temática podem ser considerados música litúrgica, embora todo o canto litúrgico seja também música sacra. Porém, para este último, não basta que sua temática seja religiosa, é preciso ainda atender uma série de critérios muito específicos, como letra, melodia e forma de execução.

Há ainda a chamada música católica, geralmente tocada nos encontros de grupos e pastorais. Assim como a música sacra, este tipo de música aborda a temática religiosa, porém frequentemente misturada com outras temáticas, diluindo os conteúdos religiosos e apresentando a tendência de utilizar elementos da música secular. É por isso que existem hoje gêneros como Rock e Sertanejo Católico entre outros diversos artistas que produzem DVD’s, clipes e shows.

Vale ressaltar que a música católica possui sim um importante papel a cumprir, o qual não se confunde com o papel a ser cumprido pela música litúrgica. Cada qual no seu lugar de tal modo que possam conduzir os corações dos fiéis a Deus.

Por: Lucas Casagrande

Este post tem 3 comentários

  1. Alessandro Geovane De Souza

    Excelente explanação feita nesse artigo. Glória a Deus! Não deixou dúvidas.
    Parabéns.

  2. Piqueno Gigante

    Fantástico, agora ficou tudo mais claro e simples de perceber-,se.

Deixe uma resposta