O Canto e a Oração

O Canto e a Oração

Algumas pessoas gostam de utilizar cantos em sua oração, outras preferem o silêncio. Para além das preferências pessoais, será que existe alguma relação concreta entre canto e oração?

Você já teve a experiência de tentar se concentrar e orar em um ambiente barulhento e dispersivo? Pode até mesmo acontecer deste ambiente ser uma Igreja e que a fonte da distração seja a execução de um canto pelos músicos que estejam conduzindo a música na celebração.

De modo oposto, você talvez já tenha tido a experiência de adentrar em um ambiente convidativo à oração. Provavelmente este ambiente era uma Igreja na qual um suave cântico era entoado, ainda que no sistema de som e não executado ao vivo.

A oração é um movimento caracterizado pela interioridade e profundidade. Nela a atenção deve ser voltada para o interior, afastando-se das realidades sensíveis e aproximando-se do transcendente. Nesta direção, o interior, busca-se então a profundidade.

O canto pode auxiliar ou dificultar este processo, tudo depende do tipo de canto e do como ele é executado. Músicas que estimulem o corpo através de ritmos marcados e fortes são uma fonte de distração e dificultam o processo da oração. Da mesma forma, um canto onde os elementos harmônicos ou melódicos sejam por demasiado complexos e rebuscados atraí a atenção para si e tende a prender a inteligência dificultando seu movimento em direção ao interior da alma.

O canto que suaviza os aspectos rítmicos e utiliza os aspectos harmônicos e melódicos em justa medida auxilia enormemente o movimento da oração. Essa característica de Canto se encontra nos hinos tradicionais da Igreja, que não por acaso foram meditados e utilizados como auxílio na oração por grandes Santos.

Ter a consciência de que o canto, quando adequado à esta finalidade, é uma poderosa ferramenta capaz de impulsionar a vida espiritual, é um grande e importante passo. O passo seguinte é dedicar-se ao aprendizado de alguns destes hinos, de modo a poder utilizá-los sempre que quiser.

Estes hinos de meditação e adoração, verdadeiros tesouros da tradição católica, não estão reservados aos músicos e estudiosos da música. Pelo contrário, historicamente sempre fizeram parte do imaginário popular auxiliando inumeráveis católicos em sua vida espiritual.

Deixe uma resposta